27 março 2013

Resenha: O Inferno De Gabriel [Gabriel's Inferno/ Livro 1] - Sylvain Reynard


A salvação de um homem. O despertar da sexualidade de uma mulher. 
Enigmático e sedutor, Gabriel Emerson é um renomado especialista em Dante. Durante o dia assume a fachada de um rigoroso professor universitário, mas à noite se entrega a uma desinibida vida de prazeres sem limites. 
O que ninguém sabe é que tanto sua máscara de frieza quanto sua extrema sensualidade na verdade escondem uma alma atormentada pelas feridas do passado. Gabriel se tortura pelos erros que cometeu e acredita que para ele não há mais nenhuma esperança ou chance de se redimir dos pecados. 
Julia Mitchell é uma jovem doce e inocente que luta para superar os traumas de uma infância difícil, marcada pela negligência dos pais. Quando vai fazer mestrado na Universidade de Toronto, ela sabe que reencontrará alguém importante – um homem que viu apenas uma vez, mas que nunca conseguiu esquecer. 
Assim que põe os olhos em Julia, Gabriel é tomado por uma estranha sensação de familiaridade, embora não saiba dizer por quê. A inexplicável e profunda conexão que existe entre eles deixa o professor numa situação delicada, que colocará sua carreira em risco e o obrigará a enfrentar os fantasmas dos quais sempre tentou fugir. 
Primeiro livro de uma trilogia, O inferno de Gabriel explora com brilhantismo a sensualidade de uma paixão proibida. É a história envolvente de dois amantes lutando para superar seus infernos pessoais e enfim viver a redenção que só o verdadeiro amor torna possível.

Resenha

A ideia central do livro O Inferno de Gabriel não é o erotismo (como a sinopse nos faz imaginar), é algo mais profundo, algo que palavras não podem explicar. O efeito que a autora quer dar no livro é o da sedução, ela quer mostrar que o sexo carnal e desenfreado como demonstrado em livros como Cinquenta tons de Cinza e Toda Sua, pode ter o seu lado sensual e envolvente onde não é necessário o ato sexual em si para que ambas as partes fiquem "satisfeitas" em outras palavras ela quer ressaltar que o amor não é só baseado no ato sexual em si, ele se mostra ser muito mais que isso e durante todo o livro ela faz questão de demonstrar isso ao leitor.

Como todo livro esse tem o seu "pode, não pode" onde os personagens estão longe de serem perfeitos e tanto a Julia quanto o Gabriel tem seus traumas que definitivamente não são tão banais assim como a Sylvain quer que acreditemos.

A Julia se mostra uma jovem inocente, pura, descente, bobinha (ah, ninguém quer mais uma segunda Bella Swan! Me poupe!). A autora quer mostrar uma ingênua que não é capaz de fazer mal a ninguém, uma garota que engole desaforos e não quer pensar mal de ninguém (vou mandar construir um altar pra ela). Ela só quer o lindo e "doce" Gabriel que nem sequer se lembra dela. Contudo no decorrer do livro vamos vendo que apesar de virgem ela ainda praticou algum tipo de relação sexual (oh, ela não é tão santinha assim!!!). Uma palavra para resumi-la: Insegura!


O Gabriel como já sabemos é o "lobo mal", o deus do sexo (nossa, que emoção!), bonito, extremamente experiente, rico e metido (é ele é muito metido, tem frescuras e além de tudo é arrogante). A Sylvain faz questão de mostrar o quanto ele é exigente em relação ao seu visual, suas roupas de marca (muito caras) que se mijadas por um garotinho não merecem ser lavadas sendo despachadas imediatamente para o lixo e até mesmos seus sapatos chiquérrimos e importados não podem ser arranhados. Ele é tão metido e tão fresco que as vezes eu o odiava por ser como ele é.
Uma palavra que o resume é: Convencido!

Apesar de personagens meio exagerados a autora soube escrever um bom enredo e entrelaçar a vida dos personagens de um modo que nós pobres almas leitoras não conseguiríamos decifrar até o ponto em que ela habilmente nos introduz a sua verdade. Umas das coisas positivas do livro é que ele tem de certo modo cultura onde a autora soube introduzir perfeitamente a história de Dante e Breatrice (se você pesquisar no google, saberá do que falo...) e isso de certa forma torna a história rica e interessante embora em alguns pontos seja esse o fator que a torna maçante. Ainda não li nenhuma obra de Dante (e pra ser sincera nem pretendo).

Um dos fatos que mais me aborreceram no livro foi o fato de o Gabriel achar que ele não tem alma, escutar músicas tristes, achar que não merece o amor da mocinha e toda essa ladainha de gente que pinta e borda e depois vive se lamentando e desculpem-me dizer... "Isso é tão Christian Grey!".
Felizmente o livro não tem nada haver com Cinquenta tons... A autora conseguiu provar seu ponto de vista em relação ao amor incondicional. A tão esperada sena de sexo acontece (mesmo que seja no final) e eles combinam! O que um não tem, o outro tem de sobra!



Recomendado! Quer uma leitura não tão erótica mais sensual? Este é o livro!
Um defeito? Já tá virando modinha livros sensuais, o único problema é que grande parte das pessoas ainda não se deram conta que esses mocinhos magnatas e controladores sempre estiveram presentes no livros de banca aos quais eu leio sempre que posso e super recomendo!!!

Por hoje, só! Agradeço a atenção de todos e sintam-se a vontade para expressarem sua opinião nos comentários!

Boas leituras! ^^