09 março 2013

Resenha: A Hospedeira da autora Stephanie Mayer



E como prometido, ai está a resenha de A Hospedeira. Espero que gostem.

Sinopse:
Nosso planeta foi dominado por um inimigo que não pode ser detectado. Os humanos se tornaram hospedeiros dos invasores: suas mentes são extraídas, enquanto seus corpos permanecem intactos e prosseguem suas vidas aparentemente sem alteração. A maior parte da humanidade sucumbiu a tal processo. Quando Melanie, um dos humanos "selvagens" que ainda restam, é capturada, ela tem certeza de que será seu fim. Peregrina, a "alma" invasora designada para o corpo de Melanie, foi alertada sobre os desafios de viver dentro de um ser humano: as emoções irresistíveis, o excesso de sensações, a persistência das lembranças e das memórias vívidas. Mas há uma dificuldade que Peregrina não esperava: a antiga ocupante de seu corpo se recusa a desistir da posse de sua mente. Peregrina investiga os pensamentos de Melanie com o objetivo de descobrir o paradeiro dos remanescentes da resistência humana. Entretanto, Melanie ocupa a mente de sua invasora com visões do homem que ama: Jared, que continua a viver escondido. Incapaz de se separar dos desejos de seu corpo, Peregrina começa a se sentir intensamente atraída por alguém a quem foi submetida por uma espécie de exposição forçada. Quando os acontecimentos fazem de Melanie e Peregrina improváveis aliadas, elas partem em uma busca incerta e perigosa do homem que ambas amam.


Dados

Edição: 1
Editora: Intrínseca
ISBN: 9788598078595
Ano: 2009
Páginas: 557
Tradutor: Renato Aguiar


Skoob

Onde comprar? Americanas, Submarino e Saraiva.


Resenha

Ao contrario do que muitos pensam a história do livro não gira em torno da hospedeira (que nesse caso é a Melanie) e sim da Alma (ou seja, a Peregrina).

A Stephanie Mayer nesse livro se superou pois construiu um enredo bem escrito e descrito que traga a mente do leitor do inicio ao fim. Esse livro nos mostra uma nova percepção do que realmente é o corpo e a alma.

Confesso que no inicio não estava lá assim empolgada para ler esse livro ( por causa da autora e da modinha do crepúsculo) porém, depois que me empenhei em me aprofundar na leitura percebi que todos esses personagens são  bastante cativantes e  permanecerão comigo por muito tempo.


No comecinho eu não gostava de jeito nenhum da Peregrina via ela como uma criaturinha insensível que roubava os corpos das pessoas e nem ligava para isso. Mas com o rolar das páginas eu fui conhecendo ela melhor e me apaixonando por seu jeito de ser, pensar, agir... Ela era uma verdadeira guerreira que preferia mil vezes apanhar do que bater. Uma alma pura e sem inclinação para o mal.

Vendo o livro do  angulo  apresentado no contexto pensamos que ele se trata apenas de mais um triângulo amoroso e outras coisinhas lá, quando na verdade a Stephanie me surpreendeu colocando no contexto do livro um amor "impossível" para a pobre Peregrina. No entanto há ai o verdadeiro dilema de todo o livro onde a Peregrina ama o Ian, porém o corpo dela o rejeita veementemente já que o corpo de Melanie ama o Jared resultando assim numa baita confusão de personalidades.

- É tão insuportável assim eu amar você? É isso? Eu posso ficar de boca calada, Peg. Não vou repetir isso. Você pode ficar com o Jared, se é o que você quer. Só quero que fique.

- Não, Ian! - Eu tomei o rosto dele entre as mãos; o toque da sua pele era rijo, de tão esticada sobre os ossos. - Não. Eu... eu amo você, também. Eu, a pequena lacraia prateada no fundo da cabeça dela. Mas meu corpo não ama você. Não pode amar você. Eu nunca poderei amar você neste corpo, Ian. Ele me puxa em duas direções. É insuportável.
                                 -pag. 518

A Hospedeira simplesmente não me deixou a desejar com seus personagens bem construídos com sentimentos tão profundos capazes de vencer até mesmo o maior obstáculo de todos.

- Eu a alma Pregrina, amo você humano Ian. E isso nunca vai mudar, não importa o que possa acontecer. - Eu formulei aquelas palavras com muito cuidado, para não haver mentira na minha voz. - Fosse eu um Golfinho, um Urso ou uma Flor, pouco importaria. Eu sempre o amaria, sempre lembraria. Você será meu único parceiro.
              -pag. 520

Os últimos capítulos do livro surpreendem o leitor, primeiro tiram aquilo que eles mais almejam  e torcem para depois devolver em grande estilo.

Por fim, este livro acabou por ser um dos meus preferidos.

Perfeitamente imperdível! 



Assista ao Book Trailer

Assista ao Trailer do filme