22 dezembro 2012

Resenha: O Pequeno Príncipe do autor Antoine de Saint-Exupéry


Sinopse

Livro de criança? Com certeza!
Livro de adulto também, pois todo homem traz dentro de si o menino que foi.
O pequeno Príncipe devolve a cada um o mistério da infância. De repente retorna os sonhos. Reaparece a lembrença de questionamentos, desvelam-se incoerências acomodadas, quase já imperceptíves na pressa do dia-a-dia. Voltam ao coração escondidas recordaçoes. O reencontro, o homem-menino.


CLASSIFICAÇÃO: ♥

Uma palavra para descrever este livro: Singelo!

Dizem que aquilo que somos quando crianças define  ou deveria definir o adulto em que nos transformamos. É verdade!
Por mais diferentes que possamos ser, sempre carregamos conosco a criança que fomos uma dia. É claro que a maioria de nós prefere ignora-la, fingir que ela nunca existiu.
Entretanto, há momentos decisivos em nossas vidas nos quais essa criança escapa ao carcere onde é mantida. Nesses momentos seus sonhos, seus valores, sua maneira de pensar tornam-se protagonistas em nossas decisões. É como uma voz que dita  como precisamos agir... Foi mais ou menos isso que senti ao ler O Pequeno Príncipe.
Já tinha lido algumas resenhas a respeito e a maioria relatava o quanto o livro é inspirador. Só que nem tudo são flores e é claro que alguém ia encontrar um defeito - a linguagem.

Um aviso: Se você é daqueles que esperam encontrar frases elaboradas, repletas de metaforas ou palavras que encontramos apenas nos dicionários e nas obras de Shakespeare... tire essa ideia da cabeça já!

A verdade é que, apesar da temática atemporal, O Pequeno Príncipe é um livro infantil, escrito de forma que esse publico consiga entender. As palavras fluem de forma leve e direta, foi como se meus primos de 8 anos estivessem lendo pra mim - e é engraçado como uma criança é capaz de nos fazer sentir como completos idiotas.
Durante as 95 páginas, não pude evitar o pensamento de que, conforme crescemos, nos  tornamos cada vez mais burros (não há palavra que descreva melhor). As lições que encontrei eram bem simples e eu já devia sabe-las de cor, mas foi preciso que um menininho as expressa-se para que a ficha finalmente caísse!
Muitos acham a fábula do princepezinho e sua flor demasiado idiota e não entendem os muitos elogiosa ela dedicados. Pode ser que o mesmo aconteça com você.
Ler é transformar palavras em sentimentos e esse processo é diferente em cada pessoa. Sendo assim é impossível prever as suas reações durante e após a leitura.

Um conselho: ARRISQUE-SE!