19 março 2013

Resenha: Por Isso a Gente Acabou do autor Daniel Handler

Este livro foi uma indicação de Pedro (já tá virando figurinha carimbada nos posts, hein?) e como eu não estava no meio de nenhuma outra leitura pensei: Porque não?
Sinopse 
Por isso a gente acabou trata, com a comicidade típica do autor, de uma situação difícil pela qual todos um dia irão passar: o fim de uma relação amorosa e toda a angústia, tristeza e incerteza que essa vivência pode gerar. Min Green e Ed Slarteron estudam na mesma escola e, depois de apenas algumas semanas de convívio intenso e apaixonado, acabam o namoro. Depois de sofrer muito, Min resolve, como marco da ruptura definitiva, entregar ao garoto uma caixa repleta de objetos significativos para o casal junto com uma carta falando sobre cada um desses objetos e do episódio que ele representou, sempre acrescentando, ao final, uma nova razão para o rompimento. Essa carta é o texto de Por isso a gente acabou, que é, assim, carregado de um tom informal e tragicômico - características da personagem - e traduz com um misto de simplicidade e profundidade a história de uma separação. Imerso neste universo adolescente, o leitor conhecerá a divertida personalidade de Min, uma garota apaixonada por filmes cujo sonho é ser diretora de cinema, e as idas e vindas deste romance, desde o dia em que os dois conversaram pela primeira vez até o instante em que tudo acabou. A artista Maira Kalman, autora de diversas capas da revista The New Yorker, ilustrou cada um dos objetos da narrativa, trazendo cor e descontração a esta história dolorida.


No título o autor deixa claro o tema a ser tratado (término amoroso) bem como nos prepara para uma história que é, na verdade, típica: garoto popular + garota fora dos padrões = paixão avassaladora com direito a muitas lágrimas no fim.


Uma explicação: O diferencial de Por Isso a Gente Acabou é a abordagem.


Daniel Handler “torna-se” Min Green, uma adolescente de 16 anos que acabou de terminar o seu namoro da pior forma possível. Em uma carta direcionada ao Ed (o ex) a Min faz uma análise daquelas pequenas atitudes que passaram despercebidas durante o namoro, mas que agora, depois da queda do véu cor-de-rosa, revelam-se as causadoras do término.  Nessa perspectiva o livro todo é um desabafo, o que oferece um tom mais pessoal e verdadeiro a trama e facilita o envolvimento do leitor.
A carta é sentimento puro desde a primeira até a última frase e o fato de ela ser direcionada ao Ed, que já conhece a maioria dos fatos, nos dá a sensação de realidade. A raiva e a magoa de Min ficam explicitas em cada palavra. O final é citado em todos os capítulos, criando assim uma expectativa no leitor. Você acaba amando o livro pelos detalhes, assim como acontece com pessoas.



A Min é o tipo de garota que brilha pela naturalidade e vive rodeada por amigos que a amam. Divertida e cheia de conteúdo está sempre relacionando sua vida a algum filme ou nos fazendo rir dos seus planos mirabolantes. Já o Ed é o carinha popular que até tem potencial pra surpreender, mas prefere ser um babaca. Houve momentos em que eu não sabia se deveria dar um voto de confiança ou odiá-lo de uma vez... aí ele acabou tomando a decisão por mim.
  
Pra quem já leu o livro: Você também pesquisou os filmes citados pela Min? Por acaso tentou encontrar a discografia do Hawk Davies? Sim? Então amigo(a) você entende a minha decepção ao descobrir que eram todos de mentirinha.

O personagem que conquistou meu coração foi o Al. Mesmo que no começo eu não tivesse uma opinião formada a respeito (haha), ele mostrou-se um ótimo amigo e provou que só queria a felicidade da Min (Acho que ele e a Min deveriam ficar juntos! Não, pera... Casa comigo Al?)

Outro ponto que merece destaque são as ilustrações super coloridas da Maira Kalman. Presentes em todo o livro, elas dão leveza ao texto e propõe uma interação ainda maior com a história.

Como são muitas, tentei separar as mais inusitadas

Eu poderia falar horas sobre Por Isso a Gente Acabou, mas não quero correr o risco de revelar muito da história. Além disso, isto aqui é  pra ser uma resenha  e não um livro!