28 outubro 2012

Resenha: Cinquenta tons mais escuros da autora E. L. James


Sinopse
Assustada com os segredos obscuros do belo e atormentado Christian Grey, Ana Steele põe um ponto final em seu relacionamento com o jovem empresário e concentra-se em sua nova carreira, numa editora de livros. Mas o desejo por Grey domina cada pensamento de Ana e, quando ele propõe um novo acordo, ela não consegue resistir. Em pouco tempo, Ana descobre mais sobre o angustiante passado de seu amargurado e dominador parceiro do que jamais imaginou ser possível. Enquanto Christian tenta se livrar de seus demônios interiores, Ana se vê diante da decisão mais importante da sua vida.




Resenha

Cinquenta tons mais escuros é ainda melhor que o primeiro volume da série ( pra quem gostou dela, claro). 
Aqui no segundo volume a história ganha nova expectativa, a leitura fica mais rápida e o leitor (pelo menos eu) não vê a hora de terminar o livro e pular pra o terceiro (Cinquenta tons de liberdade) para só assim conseguir matar essa fome que vai nos consumindo a cada página que passa.

O livro ainda continua com a mesma temática (Sadomasoquismo), só que de um modo totalmente novo... A Anastácia está se mostrando uma mulher forte e bem decidida e é nesse ponto que vemos o quanto o Christian esta desesperadamente apaixonado por ela, já que no caso ele realmente está mudando para poder ficar com ela. 

Embora o Christian esteja mudando, algumas coisas sempre vão ser irremediáveis (ele continua com a sua "mania" de controlador e perseguidor). Embora essa "mania" dele  seja bastante irritante em alguns trechos do livro tenho que concordar que isso termina ajudando a Anastácia a sair de uma enrascada em seu novo emprego.

Uma das coisas que todos já estavam esperando enfim acontece (O Christian pede a Ana em casamento), desculpe se estraguei tudo!

Os demais personagens do livro são legais, e até que estão se arrumando bem... O fato é que eles não tem raiz e se a autora decidisse matar algum deles ninguém iria sentir a menor falta. Até mesmo a família dela é meio troncha e isso causa um sentimento de vazio no leitor tipo: Como assim a mãe dela nem é neurotica?  Que tipo de mãe é essa, que aconselha a filha a dormir com o cara? Porque essa relação é tão rasa? (me refiro aos sentimentos maternais ok?). Embora os personagens não sejam bem contruídos eu gosto do Taylor o segurança e motorista do Christian (não me pergunte porque, eu gosto dele e ponto!)

A parte que mais gostei no livro foi quando finalmente o Christian tomou vergonha na cara e cortou relações com a Sra. Robinson (vaca aproveitadora de jovens inocentes e bonitões) que embora eu não queira admitir ensinou a ele como dar prazer a uma mulher direitinho (haha).

Bom, é o seguinte: se você leu Cinquenta tons de cinza e gostou tem que de todo jeito ler  Cinquenta tons mais escuros. Se ainda não leu nenhum livro da série... Leia! Tá esperando o que?

Se eu continuar aqui vou fugir do meu proposito e contar o livro todinho a vocês mais como eu sou uma boa samaritana eu vou encerar por aqui!

Beijos :*
Dani Henrique